Vocações

Dando continuidade as entrevistas sobre as vocações, em comemoração ao ano da vida consagrada “O Mensageiro” entrevistou os propedêuticos, hoje residentes em nosso seminário, no Loreto. Estão conosco três candidatos a ingressar na vida religiosa, são eles Rafael e Tiago vindos de São Paulo e Acácio vindo do Espirito Santo.

O Mensageiro conversou com eles sobre alguns aspectos:

  • Como surgiu a vocação?

Tiago – Minha vocação surgiu ainda em criança pela admiração que tinha pelo sacerdócio e calou fundo no meu coração, brincava inclusive de celebrar as missas. Uma vez fui a uma vigília com o meu pai e me encantei e disse pra ele que queria ser coroinha. Fui acolito, passei por várias pastorais, conheci outras ordens religiosas e foi aprofundando o desejo de conhecer mais a vida religiosa. Em um dado momento esta vocação firma-se no nosso coração.

O primeiro contato com os barnabitas foi pelo site, já tinha conhecido outras ordens, participei de um encontro vocacional com eles e o acolhimento na ordem foi preponderante.

Com o conhecimento dos escritos de SAMZ esta decisão foi reforçada e o carisma do fundador foram decisivos. A grande figura do fundador da ordem tem sido um ponto de atração.

Acácio – Venho de uma família religiosa, mas sofri algumas provações na infância com a separação dos meus pais, esta separação foi muito dolorosa pois a família foi privada de participar da comunidade religiosa. Esse afastamento durou cerca de dois anos.

Ainda na adolescência surgiu na minha cidade um projeto da infância e adolescência missionaria (IAM), que foi uma oportunidade das crianças participarem das atividades da Igreja efetivamente e comecei a participar destas atividades. O objetivo do projeto é que uma criança evangelizasse outra criança, e assim tinha contato com a palavra de Deus se expressando da sua maneira. Hoje não é mais um projeto e sim uma realidade, e é muito atuante. O meu retorno a Igreja foi através deste grupo. A infância Missionaria desperta na criança o caráter evangelizador e missionário que é o que hoje o Papa Francisco pede aos católicos. Depois participei da Juventude Missionaria, o compromisso com a Igreja, em várias pastorais e uma maior participação na comunidade. A Diocese contribuiu também por incentivar o papel do leigo na Igreja.

A descoberta da vocação foi à necessidade de buscar algo maior, pois já participava intensamente na Igreja. Fui em busca da vida religiosa, conversei com o padre da paroquia, fiz acompanhamento com os diocesanos e quis conhecer outras ordens e encontrei primeiramente os mercedários, fiquei com eles um ano e seis meses, mas não me identifiquei. Num encontro chamado NOVINTER, promovido pela CRB, em Brasília fiz contato com os barnabitas que mais tarde me encaminharam para o encontro vocacional.

Rafael – A minha vocação também apareceu ainda na infância, venho de uma família religiosa, e já tinha desejo de me tornar padre. Eu via os sacerdotes e dizia para a minha mãe que desejava ser padre. O desejo pela vida religiosa foi despertado vendo os monges entrando para a celebração no mosteiro de Itapecerica. O aprofundamento da vocação foi a partir das conversas com o Abade e conhecendo a vida religiosa. Na adolescência houve um afastamento da Igreja por cerca de dois ou três anos. Conversei com um monge e ele me disse que o tempo da crise ajuda a crescer. A Jornada Mundial da Juventude foi o marco da reavaliação da vocação e a decisão do rumo que queria tomar na minha vida pois já estava me preparando para o vestibular e já tinha o meu emprego. Após a jornada voltei a falar com os monges e eles me aconselharam a fazer uma pesquisa sobre as ordens e em uma avaliação a que mais me atraiu foi a ordem dos barnabitas.

 

  • Como é a evolução desta vocação?

Tiago – A evolução dá-se através de dúvidas e crises, a participação em grupos jovens, O amor pela nossa religião reforça a vocação. A maior participação na Igreja vem amadurecendo a minha vocação. O contato com outras congregações também contribuíram para essa evolução da vocação enriquecendo-a. A riqueza de carisma com os quais eu tive contato também são responsáveis por esta evolução. O mesmo sentimento que havia em criança de admiração, permanece até hoje só que hoje mais adulto, em função da maior experiência, e torna-se como uma coluna sustentando o desejo de abraçar a vida religiosa.

Acácio – A vocação é como uma planta, para crescer necessita de cuidados para tornar-se saudável. Ela tem que ser cuidada, alimentada, podada, regada. Muitos foram os caminhos que apareceram na minha vida e foram importantes as escolhas que eu fiz, pois em função das dificuldades que passei poderia ter tomado outros caminhos. É importante sempre colocar na nossa vida a presença de Deus, pois mesmo nas piores situações essa presença nos encaminha para o melhor. A presença de Deus constante em minha vida despertou a minha vocação.

A vocação é uma opção de vida que deve ser alimentada diariamente com orações e práticas cristãs.

Rafael – Vejo a vocação com base na minha experiência de vida. Ela dá o sentido a minha escolha. Eu olhava o exemplo do sacerdote e dos vigários que o ajudavam e queira fazer alguma coisa na Igreja. Minha família nunca quis decidir o que eu seria mas sempre exigiu que eu tivesse caráter, quer na vida civil quer na vida religiosa. Eu não conseguia definir o que eu queria ser na Igreja . O divisor de aguas foi a visão dos monges entrando para a celebração no mosteiro e então decidi que queria ser religioso. A minha decisão hoje é que eu quero ser irmão e não sacerdote. Quero ajudar a Igreja na atividade missionaria e dar um sentido na vida das pessoas. Elas diziam que eu podia ajudar mesmo não sendo um sacerdote uma vez que eu já tinha emprego, passado no vestibular, mas eu seguia firme na ideia de ser religioso. A partir dos instrumentos que Deus me deu e daquilo que ele me foi apontando eu fui descobrindo a minha vocação. Participei da fundação de uma comunidade católica chamada Luz e Paz na minha cidade, onde todos partilhavam os dons recebidos e dai levavam o evangelho a todos. Pelo meu dom da arte, do teatro, fui descobrindo a minha vocação. Eu digo sim todos os dias a minha vocação. Nossas atividades diárias exigem de nós compromissos, exigem vontade e o nosso sim. Uma ultima consideração seria que os jovens não tivessem medo do chamado que recebem independente das opiniões dos amigos ou mesmo da família.

 

 

  • Como é a rotina no Seminário?

A rotina começa às 6:20 com as orações do dia na capela, algumas vezes com missa, depois meditação, e atividades pessoais (leitura, estudos , etc), às 9 hs começa a formação com o estudos dos escritos do fundador com o Pe. Luiz Antonio, após a formação novamente os estudos pessoais, as quartas também temos formação com o Pe. Miguel e entrevistas com uma psicóloga, às 18 hs, temos as vésperas, e as completas às 21:30. Cada um também trabalha em pastorais, catequese, EAC, Pastoral da Família. Na segunda é a folga, quando temos tempo para conhecer o Rio.

  • Como foi a acolhida pela Comunidade?

A recepção da comunidade sempre foi boa. Uma acolhida sempre carinhosa, tanto do lado social, quanto do lado espiritual, sempre fazendo sentir-nos parte da Comunidade.

Entrevista: João Adauto

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM