Visita do Diácono Claudino

No ultimo final de semana de outubro, nos dias 26 e 27, nossa comunidade recebeu a visita do Diácono Claudino, que é o coordenador arquidiocesano da Pastoral do Dízimo. Ele faz a animação do dizimo de todas as paróquias e comunidades, e seu trabalho é missionário: fim de semana sim e fim de semana não, ele vai a uma comunidade ou paróquia e prega as homilias de todas as missas, como fez no Loreto. Ele nos mostrou a real e verdadeira importância do dízimo e de ser um dizimista.

O dízimo é expressão e fruto de um coração que ama a Deus porque é grato para com Ele, que ama a Igreja e reconhece nela o sacramento de Cristo, que ama o próximo porque é solidário para com ele. Quem ama, partilha e partilha com generosidade e alegria. O amor faz do dízimo uma profunda experiência de ação de graças. Nós, cristãos, não “pagamos” o dízimo porque não temos nada para comprar de Deus: Ele já nos dá tudo, gratuitamente. Mas porque amamos e queremos partilhar, colocando em um “bem comum” o que, de direito, pertence a todos porque tudo pertence a Deus.

Todos somos responsáveis pela sustentação da comunidade, e não apenas o pároco e os padres ou a administração. A comunidade é uma família, e nós, os batizados, somos os membros dessa família: por isso todos somos responsáveis por ela, devendo cada um contribuir à medida de suas possibilidades. O Dizimo é um sinal de gratidão. Uma devolução generosa, uma partilha consciente e uma contribuição responsável para que possamos manter as atividades de nossa comunidade, que convenhamos, são muitas! É do dízimo e das ofertas que a comunidade paroquial retira os recursos para fazer frente às despesas tidas como “ordinárias” (de todos os dias). As despesas “extraordinárias” (obras como, por exemplo, uma construção) podem ser realizadas pela junção do dízimo e de promoções (festas, campanhas, coletas especiais etc). De uma ou de outra forma, a responsabilidade pela sustentação da comunidade é de todos os batizados que a ela pertencem.

Nossa comunidade tem cerca de 5 mil pessoas. Mas somente 10% dos paroquianos são dizimistas. Ou seja: somente cerca 500 pessoas assumiram esse compromisso. Uma pequena parcela está pagando para que todos usufruam, esta é a verdade e é dolorido reconhecer isso, pois a comunidade de fé deve participar de todas as alegrias e dificuldades, onde tudo deve ser repartido entre todos. Segundo o Diácono Claudino, uma explicação para não termos a tradição do dizimo, é que não fomos educados desde a catequese sobre a importância de ser dizimista. Também tem aqueles que dizem que a Igreja é rica e que padre não precisa de dinheiro, porque não tem família. Esses não compreenderam ainda que o dízimo fica na paróquia. É de onde se paga as despesas e investimentos em favor do projeto de Deus. O que está construído é da comunidade e o que ainda será construído ficará para sempre para ela.

Em uma das primeiras homilias do Papa Francisco, ele disse: você pode ter nascido, ter sido batizado, ter feito primeira comunhão, ter sido crismado na Igreja Católica, mas pode acordar no inferno, porque você não teve uma experiência verdadeira com Jesus Cristo. Todos os católicos devem ser dizimistas para que a Igreja de Cristo seja mais forte e mais independente. “Cada um dê conforme o impulso do seu coração, sem pena ou constrangimento. Deus ama a quem dá com alegria”. (II Cor 9,7).

Dízimo é partilha. Partilhar não é dar o que sobra. Partilhar é dar o que o outro precisa. O dízimo é uma forma maravilhosa de fazer uma experiência com Deus. Toda a tentativa de se encontrar com Deus é válida, desde que a mesma nasça de uma experiência positiva com o Deus da vida. Experimentar Deus é participar de sua comunhão com o povo.

Experimente e você verá! O dízimo é um ato concreto de misericórdia, serviço e partilha.

Bruna Scoralick – Pascom Loreto

 

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM