Temas Bíblicos – Janeiro 2017

 

(5) Chave de leitura da Bíblia – Vocação de Israel (Gn 12-50)

          O nosso manual catequético, que é a Bíblia, com Gn 12-50 nos apresenta a vocação de Israel a ser o Povo pelo qual Deus quer chamar todos os povos a reconhecê-lo como único e verdadeiro Deus. Não estamos diante de uma historiografia. Estamos diante de uma doutrina apresentada dentro de um enredo histórico. É o começo do desenvolvimento da doutrina acerca da universalidade da salvação intuída pela reflexão sapiencial de Israel, apresentada em Gn 3. O núcleo histórico que é utilizado é aquele das migrações de tribos nômades de caráter pastoril que, ao longo do segundo milênio a.C., foram ocupando, gradativamente, o território da Palestina. O primeiro grupo caracteriza-se pela figura de Abraão. O segundo grupo é representado por Isaac e o terceiro grupo por Jacó. À luz daquilo que historicamente aconteceu, no tempo dos reis, a partir do rei Saul, quando as tribos de Israel se constituíram numa confederação, o autor do livro da origem do povo hebraico, uniu, por consanguinidade, os três patriarcas. Na verdade, em Gn 12-50, está sintetizada a história de séculos. O importante é nós sabermos reconhecer que tudo ocorreu, na visão do seu autor, como algo querido por Deus, o Deus único e verdadeiro que Israel acabou adotando como os seu Deus, porque o reconheceu Deus da sua história. A Palestina, sempre na visão do autor de Gn 12-50, é a terra que, quaisquer que tenham sido os acontecimentos históricos, Deus deu ao seu povo: é a terra que, claramente, deve ser reconhecida por Israel como sinal de benção por parte do seu Deus.

               A esterilidade de cada uma das mulheres dos respectivos patriarcas, também, caracteriza o sentido doutrinal de Gn 12-50. Estamos diante de um recurso literário que quer sublinhar que tudo teve a sua continuidade em virtude de uma determinação divina. Foi Deus que deu continuidade a Israel para que por ele, seu servo, se realizasse o seu plano, o de levar a todos os povos a luz da verdade e o anúncio de uma redenção.

               A figura de Abraão se caracteriza como uma idealização daquilo que deve ser cada hebreu: um homem de fé, sempre pronto a cumprir a vontade do seu Deus. Esta é a condição pela qual nos é dado de ser abençoados. São Paulo nos lembra que Abraão, por ter acreditado em Deus, foi por este considerado justo, quando nos lembra que é pela fé em Jesus Cristo que somos justificados. O quadro que mais ilustra a fé de Abraão é aquele do sacrifício de Isaac que é selado por um juramento por parte de Deus: “Porque nem sequer poupaste o teu filho, eu te constituo uma benção para todos os povos da terra”. Nesta narrativa se apresentam, de maneira muito clara, o enredo histórico e o ensinamento doutrinal. Não podemos pensar que, literalmente, Deus tenha dado a ordem a Abraão de matar o seu filho. O escritor, em vista de uma apresentação plástica da doutrina que queria transmitir, simplesmente, apela aos costumes da época em que situa a história do ancestral do povo hebraico. De fato, sabemos quanto a religião hebraica repudiava os sacrifícios humanos.

               As narrativas da vida de Isaac e de Jacó, certamente, eram muito caras aos hebreus porque elas se identificavam com a tradição das suas origens, enquanto lhes transmitiam todo um ensinamento sobre quão presente, na sua história, era o Deus que se tinha manifestado pelos profetas. Apresenta-se particularmente claro o ensinamento de evitar os matrimônios com mulheres de outros povos, para não por em risco a integridade da crença judaica.

 

Pe. Fernando Capra

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM