Temas bíblicos – Evangelho de João (18-19)

João nos dá a sua versão da crônica da Paixão do Senhor (Jo 18-19). Não nos fala da agonia de Jesus no Horto das Oliveiras, como os outros evangelistas, pelos quais Jesus nos esclarece sobre as suas emoções diante da vontade do Pai que ele beba o cálice que lhe oferece. O que Jesus falou a Nicodemos em Jo 3 sobre a elevação do Filho do Homem, o que respondeu aos Apóstolos quando o convidavam a se alimentar (Jo 4,34), o que proclamou do “Eu sou” em relação à sua Morte (8,27), o que disse acerca da “Hora” que chegou em Jo 12, o que, enfim explicou da sua Passagem para o Pai (Jo 13,19) e do sentido da sua consagração em função da nossa perfeita santificação (Jo 17), revelam suficientemente a disposição de Jesus, na condição de Filho, diante da Morte. Existe uma titubeação que é parte natural da sua natureza humana diante do sacrifício da vida. Ao mesmo tempo existe a determinação da Pessoa divina, consciente de ter vindo ao mundo para “essa hora” (12,27). A forma consciente com que lida em relação à Maria, irmã de Lázaro, que o homenageia derramando perfume sobre os seus pés, a severidade com que admoesta Judas diante da traição que está para consumar, indicam que Jesus, de fato, quando chegam os guardas do templo para prendê-lo, é senhor da situação. Ele é o “Eu sou” que derruba no chão os seus inimigos com a simples pronunciação do seu nome. Confunde Anás, simplesmente lembrando a forma correta do testemunho de quem o escutou na sinagoga e no templo. Caifás, diante disso deixa de agir, simplesmente explorando a forma incauta de Pilatos, que vê seu medo aumentar quando ouve que Jesus se declarou “Filho de Deus”. Jesus caminha de forma triunfal, dando testemunho da Verdade, enquanto Pilatos é derrotado pela chantagem dos Sumos sacerdotes e os sacerdotes são derrotados por se tornarem escravos da mentira. Abdicam até a dignidade nacional reconhecendo, aos brados, César, como seu rei.

Jesus está oferecendo a luz da liberdade da Verdade, a partir do momento em que propõe a si mesmo como modelo e guia. Revela que o verdadeiro homem se constrói pela atuação da regra da realização própria da criatura em relação ao Criador. Ele é o Adão que vive a sua realização. Podemos descobrir esses valores quando estudamos o homem Cristo Jesus à luz das figuras da Profecia: do Servo de Iahweh, o Cordeiro que carrega sobre si as nossas culpas e que nós desprezamos porque cheio de chagas.

A sua condição divina, sem sombra de dúvidas, tanto reconhecida como proclamada por Jesus quando fala de si mesmo, tem a sua ilustração em tudo aquilo que Jesus atribui a si mesmo na condição de Eu Sou, Glória de Iahweh!

Quanto de coragem é exigido para seguir a Jesus, o vemos na determinação com que José de Arimateia e Nicodemos rompem com a sinagoga. O primeiro resgata o corpo de Jesus e compra os lençóis, o segundo traz unguentos para a sepultura. Muitos chefes não tiveram essa coragem (Jo 12,42s).

A ameaçadora influência das autoridades religiosas judaicas revela a profundidade da perfídia que morava nos seus corações. Dela, Jesus não teve medo. Quis suportar as consequências, fiel à sua missão de enviado à casa de Israel.

Quem sabe seguir Jesus poderá usufruir da Luz da Verdade. Os outros, na sua convicção de enxergar, vencidos, contudo, pela covardia, permanecerão nas trevas.

 

Perguntas para reflexão:

1ª) Quais são os momentos da vida de Jesus que nos esclarecem sobre os seus sentimentos ao longo da sua Paixão?

2ª) Por que a Paixão e Morte do Senhor é o momento da manifestação do “Eu sou”?

3ª) Quando é que o discípulo revela seu verdadeiro amor para Jesus?

 

Pe. Fernando Capra

 

 

 

 

 

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais