Padre Sebastião: 43 anos dedicados a Jesus e a Igreja

Conversar com padre Sebastião sobre suas memórias, vê suas fotos, reconhecer pessoas (ou melhor, não reconhecer ninguém), foi uma deliciosa experiência. Tivéssemos mais tempo e ali ficaríamos, nessa viagem, vendo o passado com os olhos no presente. Porque afinal, aquele das fotos é este que está aqui conosco. É nosso pai, nosso pastor, nosso confessor. É aquele que nos diz tudo o que pensa sem dizer palavras. Quem o conhece sabe.

Comemorar o aniversário de sacerdócio do nosso amado padre é mais que uma homenagem a ele. É a oportunidade de agradecermos a Deus por sua ternura conosco, que nos deu de presente um amigo, um irmão de fé e de caminhada, que nos faz chorar junto com ele em sua humildade e que pede nossas orações.

Oremos: Pela intercessão de Nossa Senhora de Loreto, que Deus abençoe sempre a sua vida, a sua opção por uma família tão numerosa como a nossa e a sua vocação. Que esta comunidade possa retribuir sempre com muito amor, todo o amor dedicado por este filho a cada um de nós. Amém.

Perguntamos ao Pe. Sebastião:

O Mensageiro: Padre Sebastião, o senhor lembra o que mais o emocionou no dia da sua ordenação? Aconteceu algo que o tenha marcado?

Pe. Sebastião: Lembro-me do sentimento que me invadiu: foi o sentimento de pequenez diante da dignidade do sacerdócio. Dizia-me “Quem sou eu, para ser um outro Cristo”? Quem sou eu para dizer em primeira pessoa: “Isto é o meu corpo, isto é o meu sangue”?

O Mensageiro: Onde foi e quem foram os seus “padrinhos” de ordenação?

Pe. Sebastião: Foi em Brazópolis, minha cidade natal, na Diocese de Pouso Alegre, Sul de Minas. O bispo foi D. José d’Ângelo Neto, de Pouso Alegre. Não tive, propriamente, ‘padrinhos’. Naquele tempo não se falou disso. Mas posso dizer que foi o meu padrinho o Mons. Noronha, o pároco da minha cidade. Eu marquei a minha ordenação para uma quinta feira, 17 de setembro, para que acontecesse dentro da festa dos seus 50 anos de sacerdócio que seriam celebrados solenemente no dia 18 de setembro de 1970 e para que eu pudesse celebrar com ele o seu jubileu de ouro. De fato, no dia 18, concelebramos, na catedral de Pouso Alegre, nossa diocese, com dois jubilandos, Mons. Noronha e Mons. Alderigi, a grande missa de Ação de Graças em que participaram 50 sacerdotes.

O Mensageiro: O Loreto foi sua primeira paróquia?

Pe. Sebastião: Sim, foi a minha primeira paróquia. Depois da ordenação, tendo voltado da Itália depois de 4 anos de ausência, fiquei alguns dias com minha família e vim para Jacarepaguá em 10 de outubro de 1970. Éramos 7 padres aqui, naquela ocasião. Era pároco o P. Moreira até 23 de setembro de 1973, quando assumi este encargo.

O Mensageiro: O senhor teve a oportunidade de trabalhar no Loreto, ficar anos fora e retornar. O que o senhor acha daquela comunidade e a de hoje? As diferenças fundamentais relacionadas à mudança de comportamento da sociedade influenciou muito no modelo anterior da paróquia e no atual?

Pe. Sebastião: Eu diria que, mais que a mudança da sociedade, foi importante em todo esse tempo, a mudança na Igreja a partir do Concílio Vaticano II, terminado em 1965. Naqueles anos a paróquia ainda estava organizada com a catequese infantil e as associações religiosas. Tinha introduzido a missa vespertina aos domingos. Durante a semana as missas eram somente celebradas de manhã. Não havia ainda as pastorais envolvendo os leigos nos vários trabalhos da paróquia. Eu me lembro que a igreja se fechava às 5 horas da tarde para abrir às 6 horas do outro dia. Não havia nenhuma atividade à noite, nem missas, nem atendimento pastoral, somente em alguns dias o terço com ladainha e bênção do SS. Sacramento. Mas então foram surgindo os leigos mais esclarecidos e de boa vontade que se dispuseram a organizar diversos trabalhos como a preparação dos pais e dos padrinhos para o batismo, as festas e os serviços sociais. Foi nessa época que começou a crescer a população do bairro com as construções dos condomínios habitacionais como o Paulo VI na Rua Tirol e o Independência na Estr. dos Três Rios. Em dezembro de 1970 comecei a presidir a missa aos domingos à noite no Conjunto Paulo VI, passando anos depois para o Conjunto Santos Dumont. Assim começou a história do que temos hoje: Essa grande comunidade.

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM