Fé e Política – abr2017

 

“O bem comum acima de tudo”

 

“Os fiéis viviam todos unidos e tinham tudo em comum. Vendiam suas propriedades e seus bens, repartindo tudo entre todos, conforme a necessidade de cada um.” (At 2, 44-45)

 

A leitura e, principalmente, a reflexão do texto acima nos leva a uma profunda tristeza ao constatarmos o grande abismo existente entre a sociedade das primeiras comunidades cristãs e a nossa chamada, talvez ironicamente, de “moderna” ou “contemporânea”. O individualismo e a privatização dos sonhos se contrapõem aos valores cristãos claramente explicitados no livro dos atos dos apóstolos e que fundamentam os conceitos de cidadania e o princípio do Bem Comum.

Segundo os principais órgãos econômicos mundiais, para erradicarmos a fome e a miséria do mundo basta um crescimento econômico significativo ao longo dos anos, principalmente nos países mais pobres para, desta maneira, gerar mais emprego e renda. Entretanto, o mundo moderno esbarra em um problema ecológico chamado “aquecimento global” que, graças ao tal “crescimento significativo” dos países desenvolvidos, pode acabar com a vida no planeta em menos tempo do que acabaríamos com a fome. Surge, então, um grande impasse: Como acabar com o grave problema da fome e da miséria no mundo sem comprometer o aquecimento global? A resposta está na Bíblia, mais precisamente no trecho de Atos dos Apóstolos que encabeça o nosso artigo: Partilha. Porém, infelizmente, essa palavra não existe no dicionário neoliberal. Aliás, ela é quase um palavrão para o conceito capitalista, uma vez que ele baseia os seus princípios na doutrina pautada no egoísmo, na competição e no individualismo de Adam Smith. É sempre bom lembrar que 70% da riqueza produzida no mundo está na mão dos 20% mais ricos, enquanto que 80% da população mundial – os mais pobres – ficam com apenas 30%. Esse quadro de concentração de riqueza e renda se agrava ainda mais quando toma por base os países mais pobres. Inclusive, quanto maior a concentração de renda e de riqueza em um país, menores são as práticas cidadãs e, consequentemente, a valorização da coletividade.

O princípio do Bem Comum, um dos elementos primordiais para existir uma cidadania plena, parte da idéia fundamental de que o coletivo está acima do individual e que a privatização dos sonhos, ou seja, os bens materiais individuais e os sonhos consumistas devem ser abandonados em favor das organizações populares como sindicatos, movimentos sociais e associações de bairros. A expressividade e o fortalecimento do coletivo é que alimenta a justiça e igualdade social em um país. Quanto maior a coletivização dos sonhos, maiores serão os poderes de uma nação para implantar a justiça social.

Para fazermos a nossa parte precisamos romper com os valores consumistas da nossa sociedade. Um bom caminho é parar de avaliar e julgar as pessoas pelos seus bens materiais. Outro bom caminho é fugir das armadilhas consumistas de comprar as coisas para usufruir do “status” de possuir aquele bem. Perguntar se realmente precisa do que se está comprando ou avaliar se a motivação da compra é por necessidade ou por vaidade é outra boa oportunidade para um bom começo. Para finalizar, também precisamos valorizar os movimentos de coletivização social, como os sindicatos, as associações de bairros, os partidos políticos e os movimentos de organização popular. Todos eles funcionam mal ou bem na mesma proporção do quanto as pessoas participam deles com os interesses coletivos acima dos individuais.

Se fizermos isso, daremos um passo decisivo para uma nova sociedade e, quem sabe, para o novo mundo conclamado anualmente nos Fóruns Sociais Mundiais.

 

Robson Leite é professor, escritor, membro da nossa paróquia, Ex-Superintendente Regional do Ministério do Trabalho e Emprego no RJ e foi Deputado Estadual de 2011 a Janeiro de 2014.

Site: www.robsonleite.com.br

Página do Facebook: www.facebook.com.br/robsonleiteprofessor

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM