Entrevista Pastoral – Fé & Dons – 18 Anos

        “Se eu aprender inglês, francês, espanhol, alemão ou chinês e dezenas de outros idiomas, mas não souber me comunicar como pessoa, de nada valem todas as minhas palavras.

               Se eu concluir um curso superior, andar de anel no dedo, e frequentar cursos de atualização, mas viver distante dos problemas do povo, minha cultura não passa de uma inútil erudição.

               Se eu morar no Nordeste, mas desconhecer os sofrimentos de minha região, e fugir para as férias no Sul e até na América, na Europa e, nada fizer pela promoção do homem, não sou cristão.

               Se eu possuir a melhor casa de minha rua, a roupa avançada do momento e o sapato da moda, e não me lembrar de que sou responsável por aqueles que moram na minha cidade, andam de pé no chão e se cobrem de sujo e de molambo, sou apenas um manequim colorido.

               Se eu passar o fim de semana em festas, boates, farras e programas sem ver a fome, o desemprego, o analfabetismo e a doença, sem escutar o grito abafado do povo que se arrasta a margem da história… Não sirvo para nada.

               O cristão não foge dos desafios de sua época, não fica de braços cruzados, de boca fechada, de cabeça vazia; não pode tolerar a injustiça, nem as desigualdades gritantes de nosso mundo; luta pela verdade e pela justiça, com as armas do amor”.

(Dom Hélder Câmara)

 
Essa é parte da mensagem de boas-vindas encontrada na pasta dos coordenadores de ministério, ou seja, daquelas pessoas que vão liderar os diversos grupos de trabalho, para cada Encontro Fé & Dons.

Inspiração de D. Hélder Câmara, baseado na Carta de São Paulo aos Coríntios Cap. 13, aqueles que assumem o compromisso de preservar e levar à frente o Movimento Fé & Dons, de pronto são chamados a pensar sobre o que fazem ali e seu papel dentro da Igreja e da Comunidade.  Poderiam nossos leitores que não conhecem o Fé & Dons, pensar que se trata de um grupo fechado, teológico e sistemático. Mas não é.

Fundado em nossa Paróquia há 18 anos, por jovens recém-saídos do EJC, o Fé & Dons é um Movimento aberto e muito alegre. Tem por objetivo principal o de “abrir as portas da comunidade de fé para todos os que desejam colocar seus dons a serviços do próximo”, e com essa máxima, vêm arrastando multidões de volta ao serviço pastoral e social da Igreja e da comunidade em geral.

É uma reunião de pessoas que por muito tempo se encontrou em situação especial e por conta disso afastados das atividades da Igreja: casais de segunda união, jovem que não têm mais idade para frequentar o EAC ou o EJC, idosos cheios de disposição para servir ou simplesmente pessoas em nenhuma das situações acima, mas que se encontram afastadas da comunidade de fé e desejam voltar. Essa condição torna essas pessoas sensíveis aos apelos do serviço, do olhar emocionado para o outro, ao invés de se debruçarem em suas próprias mazelas. Por isso o Amor de Deus é o centro dos Encontros. O Amor que acolhe sem olhar o passado, o amor que perdoa e que incentiva ao acerto, que move as pessoas na busca por uma vida melhor para si e para o próximo. O amor que é alegre e que transforma vidas.

Foi então, em meio à euforia da proximidade do 31º Encontro e a chegada do novo Dirigente Espiritual, Pe. Sivonaldo, que fomos conversar com os atuais coordenadores gerais do Movimento, Dennys Silva e o Marcio Mattos. Vale a pena conferir.

feedons

1- Durante muito tempo temos ouvido que o “Fé e Dons é a Igreja em busca do que se perdeu”. Quem se perdeu? De quem ou do que se perdeu e como o Movimento resgata essas pessoas?

Dennys: Eu retornei a Igreja pelo ECC, em 2004. Fiz o encontro na Santo Agostinho, na Barra e fiquei por lá trabalhando por muito tempo. Mas eu sentia uma necessidade muito grande de fazer alguma coisa aqui no Loreto, que é minha paróquia. O ECC é um movimento muito forte na Igreja, nós fomos muito bem acolhidos, mas eu precisava de algo mais. Foi quando eu fiz o Fé e Dons. Eu me encantei com a diversidade do grupo, retrato daquelas pessoas que encontramos nas passagens do Evangelho: As pessoas que Jesus acolhia, os excluídos. Jesus não discriminava ninguém e foi isso me encantou no Fé e Dons. Então a resposta é essa, quem se perdeu, foi eu, você e todos aqueles que em algum momento se afastou da Igreja e de Jesus. O Fé e Dons resgata todos aqueles que querem voltar, independente de serem casados ou separados, jovem ou idoso. Estamos em busca daqueles que em um primeiro momento precisam de ajuda para se reinserirem na comunidade de fé, e que logo depois descobrem que podem ser úteis e se colocam à serviço. Além desse diferencial do Fé e Dons, nós temos uma particularidade muito importante, que são os irmãos de Betânia, que participam dos encontros. É um presente para nós, pois aprendemos muito com eles e percebemos a ação efetiva de Deus, transformando a vida das pessoas.

Marcio: Antes de tudo gostaria de agradecer a oportunidade de estar representando aqui um grupo fantástico, que tenho a certeza de ter sido gerado pela graça do Espírito Santo, e desta forma vem sendo conduzido até os dias de hoje.

O Fé e Dons acolhe todas as pessoas, seja qual for sua condição. Hoje podemos dizer que estamos em total sintonia com a orientação da Igreja, pelo Papa Francisco, que vem nos ensinando a tratar com igualdade e repeito todas as crenças, raças e situação individual. Assim é o Fé e Dons há 18 anos.

 

2- Vocês consideram que o Fé e Dons está cumprindo com seu objetivo de inclusão pastoral? 

Dennys: Sim, não só na inclusão pastoral, mas na social também, pois algumas pessoas não entram de imediato para o serviço pastoral, mas passam ajudar a comunidade com o despertar dos seus dons. O amor de Deus toca o coração das pessoas de forma muito intensa. Alguns passam a ajudar a comunidade de outras formas: advogados, médicos, dentistas etc. Em Betânia, na Toca de Assis… Porém, nós temos uma barreira imensa ainda a vencer, que é o acolhimento das pastorais. Infelizmente nem todas as pastorais recebem de braços abertos esses novos irmãos. Acho incrível isso, pois reclamam tanto de falta de mão de obra, mas na hora de acolher, são resistentes. Deveria haver nas pastorais uma pessoa que fosse preparada para acolher e direcionar os novos. Nós fazemos a nossa parte, que é o de despertar os dons das pessoas, mas se elas não forem bem acolhidas nas pastorais, a chance dela voltar diminui muito.

Dentro do Fé e Dons, nós precisamos também melhorar a parte de orientação pastoral pós encontro e mesmo da Evangelização em si, pois alguns dizem que não sabem muito sobre a Igreja e conhecem pouco a Bíblia; então temos que fortalecer esses pontos nas preparatórias. Nós vemos que os Círculos Bíblicos também ajudam muito na formação e na direção dessas pessoas.

 

3- Só tem Fé e Dons no Loreto?

Dennys: Com esse nome e dinâmica sim. Mas existem alguns encontros parecidos em outras paróquias. O setor de caso especiais da Pastoral Familiar, vêm abrindo espaço para a divulgação dos grupos e encontros existentes na Igreja, que trabalham com os casais de segunda união, viúvos, etc. Nós fomos convidados a participar de um encontro vicarial da PF, onde tivemos a chance de falar sobre o Movimento.

Sabemos que algumas paróquias já tiveram o desejo de levar o Fé e Dons para os seus calendários, mas não se concretizou. Agora, temos a Paróquia de São Marcos, na Barra, que já marcou data para o 1º Fé e Dons lá. Um grupo está vindo participar conosco e vão fazer o 31º Encontro. Nós vamos apoia-los na montagem do Encontro deles.

Eu já tive a oportunidade de conversar com D. Orani sobre o movimento e quando disse a ele que só existia aqui, ele me respondeu que isso depende dos párocos quererem levar para suas paróquias, então os que estiverem lendo essa entrevista e desejarem mais informações, podem entrar em contato conosco pelo email feedons@loreto.org.br

 

4- O entusiasmo que todos percebem no grupo, durante e depois dos encontros, desperta muita curiosidade nas pessoas. Qual é o segredo de se manter um grupo tão grande, unido e motivado?

Dennys: O Fé e Dons é um grupo que tem no DNA a alegria! Nós fomos criados pelo EJC e herdamos deles o desprendimento, o entusiasmo, a disposição, o desembaraço próprios da juventude. As pessoas percebem isso quando fazem o encontro e depois elas querem voltar para retribuir todo o amor que receberam. Quando a gente tem uma experiência positiva, nosso desejo é partilhar isso com as pessoas e que elas também possam vivenciar da mesma alegria.

Coordenar o Fé e Dons não é difícil, os maiores problemas que eu tive foram os gerados por mim mesmo. Ficamos na coordenação por dois anos, quatro encontros. O primeiro ano é um grande aprendizado. O segundo, é mais tranquilo.

Marcio: O entusiasmo vem do Espírito Santo, eu costumo dizer que “O Fé e Dons é o jeito alegre de se tratar um assunto sério“. Essa alegria se dá quando nos doamos e obtemos respostas, fica fácil, a pele arrepia e o Espírito Santo age.

 

5- Para aquela pessoa que está afastada da Igreja e que gostaria muito de voltar, qual a mensagem que vocês mandariam para ela?

Dennys: 2011 foi o pior ano da minha vida, foi uma época em que eu e minha família enfrentamos muitas dificuldades financeiras. Geralmente quando a pessoa tem um problema, ela tende a se afastar. Eu, graças a Deus, fiz um caminho contrário. Quando as coisas pareciam que estavam dando errado, Deus ia me dando vários presentes. Entre eles, nós fomos convidados para ser tios de EAC. Uma das funções dos tios é pegar e levar os adolescentes em casa, mas eu nem tinha mais carro. Então eu pedia emprestado aos amigos e cada hora ia com um carro diferente. Os garotos ficavam achando que eu era rico, que tinha todos aqueles carros (risos)… enfim, foi isso, no momento de maior dificuldade da minha vida eu não culpei Deus, ao contrário, eu aprendi com os meus erros.

Então a mensagem que eu quero passar para aqueles que estão afastados da Igreja e de Jesus, é que não desistam. Não se fechem a ponto de não permitir a ação de Deus na sua vida. Deus sempre tem um plano maravilhoso para cada um de nós. Então na hora da dificuldade, nós temos que confiar nos propósitos Dele.

Vem com a gente e deixe que Deus transforme a sua vida, como transformou a minha.

Marcio: Deus nos dá vários sinais para mudarmos nossas vidas a partir do encontro ou reencontro com Ele. Estejamos sempre atentos. Eu considero o Fé e Dons como um desses sinais.

 

Entrevista: Ana Clébia

11º Fé & Dons – Pascom Loreto

 

 

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais