Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016

(CFE-2016)

O sentimento de Fraternidade carrega em si muito mais do que um ideal social ou religioso, vai além de um gesto de irmandade, ele compreende o sentido da igualdade entre todos os seres, sem distinção. Ao buscarmos um conceito, o encontramos descrito através de termos como solidariedade, afeto, amor ao próximo, ternura, caridade e etc., porém, há que salientar o seu mais sublime sentido, que não se limita de forma tão pobre e simplista, mas no que tange à plena cidadania entre os homens, estabelecendo e reconhecendo uma relação de igualdade, antes de tudo em dignidade, e assegurando-lhes seus plenos direitos.

A abordagem desse tema é essencial para que possamos trazer à tona questões sociais importantíssimas para a nossa humanidade, para harmonizar o relacionamento entre nós cidadãos, refletir e compreender acerca da nossa essência e, acima de tudo, do nosso papel em sociedade, enquanto sujeitos atuantes, cobrando ações do estado, porém realizando também a parte que nos cabe.

O tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016 está em sintonia com a Encíclica do papa Francisco, “Laudato Si, visando debater com a sociedade, sobretudo, questões relativas ao saneamento básico, desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida aos cidadãos”. O tema escolhido para a Campanha é “Casa comum, nossa responsabilidade”, e o lema, “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5.24).

A reflexão da CEF 2016 será a partir de um problema que afeta o meio ambiente e a vida de todos os seres vivos, que é a fragilidade e, em alguns lugares, a ausência dos serviços de saneamento básico em nosso país. O texto-base está organizado em cinco partes, a partir do método “ver, julgar e agir”. Ao final, são apresentados os objetivos permanentes da Campanha, os temas anteriores e os gestos concretos previstos durante a Campanha de 2016.

A falta de saneamento básico no Brasil é fato gerador de grandes problemas na saúde do povo brasileiro, principalmente o mais pobre, que sofre as consequências desse abandono. E para combatermos essa triste realidade, é importante, não só cobrarmos atitudes das autoridades, mas assumirmos a nossa responsabilidade em prol do meio ambiente. Devemos envolver as nossas crianças em amplo trabalho de conscientização e também nos comprometermos com esta causa, assim, além de darmos um excelente exemplo para os pequenos, estaremos ajudando a cuidar do nosso planeta, para que ele sobreviva e prospere para as gerações que virão.

Na Paróquia N. Sª de Loreto conversamos com alguns membros da equipe CFE – 2016, entre eles, Sérgio e Marilda, que nos falaram sobre a Campanha da Fraternidade, as ideias de políticas públicas, não somente de saneamento, mas do meio ambiente como um todo, e a necessidade da participação efetiva da nossa comunidade nas atividades propostas.

 

A forma como é realizada a Campanha é particular a cada paróquia?

Anualmente é escolhido pela CNBB um tema e passado para todas as paróquias através das Arquidioceses. Cada paróquia tem a responsabilidade de tentar promover e fazer algo ligado ao tema.

 

Quem são os responsáveis pela Campanha da Fraternidade?         

A nível nacional, a responsabilidade e planejamento cabem a CNBB. Em decorrência, ela publica anualmente o “Texto-Base” da Campanha e oferece os subsídios. Daí as Arquidioceses, Dioceses, Vicariatos e Paróquias seguem as suas orientações. Na Paróquia N. Sª de Loreto, a responsabilidade é da Equipe da CFE-2016, formado pelo grupo G-5 + 1, sob a coordenação do casal Sergio e Marilda.

 

Qual o tema para esse ano e como é feita essa escolha?

A primeira CF-Ecumênica foi organizada no ano 2000, e teve como tema “Dignidade humana e paz”, e o lema escolhido foi: “Novo milênio sem exclusões”. A segunda edição, em 2005, falou sobre “Solidariedade e paz”, com o lema: “Felizes os que promovem a paz”. Em 2010, o tema versou sobre “Economia e Vida”, com o lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”. Deste ano, o lançamento oficial ocorrerá na Quaresma-2016, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília. (Fontes: CNBB e CONIC). “Casa comum, nossa responsabilidade” é o tema. O lema bíblico para apoiar esta escolha baseia-se em Amós 5,24, que diz: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. Ambos, tema e lema, foram definidos em uma reunião realizada em São Paulo, entre os dias 4 e 6 de novembro de 2015.

Face a sua motivação ecumênica, a escolha foi feita pelos membros do CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil – membros: Igreja Católica Apostólica Romana; Igreja Episcopal Anglicana do Brasil Igreja Evangélica de Confissão Luterana  no Brasil; Igreja Sirian Ortodoxa  de Antioquia; e Igreja Presbiteriana Unida) e da Miserior (entidade episcopal da Igreja Católica da Alemanha que trabalha na cooperação para o desenvolvimento na Ásia, África e América Latina), em sintonia com o Conselho Mundial de Igrejas e com o Papa Francisco.

Conte-nos um pouco sobre a campanha:

HISTÓRIA: A Campanha da Fraternidade nasceu por iniciativa de Dom Eugênio de Araújo Sales, em Nísia Floresta, Arquidiocese de Natal, RN, como expressão da caridade e da solidariedade em favor da dignidade da pessoa humana, dos filhos e filhas de Deus.

Assumida pelas Igrejas Particulares da Igreja no Brasil, a Campanha da Fraternidade tornou-se expressão de comunhão, conversão e partilha. Comunhão na busca de construir uma verdadeira fraternidade; conversão na tentativa de deixar-se transformar pela vida fecundada pelo Evangelho; partilha como visibilização do Reino de Deus que recorda a ação da fé, o esforço do amor, à constância na esperança em Cristo Jesus (Cf. 1Ts 1,3).

A Campanha da Fraternidade de 2016 (CFE-2016) será ecumênica, ou seja, reunirá outras igrejas cristãs além da católica. Tal como nas três versões anteriores, a ação será coordenada pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil – CONIC; são membros do CONIC: Igreja Católica Apostólica Romana; Igreja Episcopal Anglicana do Brasil Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia; e Igreja Presbiteriana Unida. A CFE contará também com a Aliança de Batistas do Brasil, o Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP) e a Visão Mundial. Uma das maiores novidades para esta 4ª edição é que ela deverá transpor fronteiras nacionais, já que contará com a participação da Misereor – entidade episcopal da Igreja Católica da Alemanha que trabalha na cooperação para o desenvolvimento na Ásia, África e América Latina.

A campanha deste ano tem como base não só o saneamento na sua questão principal vai muito além, nos chama ao comprometimento com a sustentabilidade do planeta, como ficou muito bem colocado no cartaz da campanha. Mostrando para nós, que o planeta é nossa casa, nossa responsabilidade, abrindo nossos olhos. Não podemos ficar pensando só no nosso quintal, no nosso bairro, o que estamos fazendo afeta a todos.

 

Quais os objetivos da Campanha?

Assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas, que no Brasil, caminha a passos lentos. Empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade, despertando o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, comprometendo, em particular, os cristãos na busca do bem em nossa casa comum. Educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor, exigência central do Evangelho. Renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja na evangelização, na promoção humana, em vista de uma sociedade justa e solidária (todos devem evangelizar e todos devem sustentar a ação evangelizadora e libertadora da Igreja). Unir igrejas, diferentes expressões religiosas e pessoas de boa vontade na promoção da justiça e do direito ao saneamento básico; estimular o conhecimento da realidade local em relação aos serviços de saneamento básico; incentivar o consumo responsável dos dons da natureza, principalmente da água; apoiar e incentivar os municípios para que elaborem e executem o seu Plano de Saneamento Básico; desenvolver a consciência de que políticas públicas na área de saneamento básico apenas tornar-se-ão realidade pelo trabalho e esforço em conjunto; denunciar a privatização dos serviços de saneamento básico, pois eles devem ser política pública como obrigação do Estado; e desenvolver a compreensão da relação entre ecumenismo, fidelidade à proposta cristã e envolvimento com as necessidades humanas básicas.

 

Como está o desenvolvimento da campanha e quais ideias já foram implementadas até agora?

Estamos buscando apoio da subprefeitura de Jacarepaguá, para nos ajudar nas melhorias de serviços básicos para nossa comunidade. Promover palestras e debates visando não só oferecer esclarecimentos sobre o problema do saneamento, mas também tudo que envolve o meio ambiente. Além disso, o nosso pároco irá programar terças de estudos visando esclarecer as bases da campanha, bem como motivar a comunidade na realização de ações concretas.

Existe um acompanhamento/cobrança de resultados?

Sim. Principalmente com os órgãos públicos, que tem as condições e responsabilidade de executar o saneamento.

De que forma a comunidade pode ajudar?

Participando das ações e cobrando soluções dos nossos governantes. Mas, devemos praticar pequenas ações na nossa casa, em nosso condomínio, em nosso bairro, como, reciclar lixo, economizar água potável, não descartar na natureza óleo ou outros produtos que agridem ao meio ambiente, e outras inúmeras ações que podem ajudar ao nosso planeta. Não dá mais para ficarmos de braços cruzados reclamando e não agindo. O Papa está convocando todos a entrar nessa tarefa.

De que forma está sendo feita a divulgação da campanha?

Haverá uma faixa na entrada do Loretão e um banner ao lado do altar, cartazes em vários locais, projeção no telão nas missas dominicais do Loretão e promoção de palestras.

A programação dos eventos segue no quadro a seguir e a escala da Via Sacra será amplamente divulgada nos meios de comunicação da paróquia, como site, quadro de avisos, redes sociais e na secretaria paroquial.

 

“Que essa CFE fortaleça a fé e a esperança de uma Casa Comum, em que o direito brote como fonte e a justiça qual riacho que não seca!” Dom Flávio Irala – Presidente do CONIC.

 

Por Luciana Magalhães
Pascom Loreto

 

 

Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016

Programa de Eventos na Paróquia N. Sª de Loreto:

Data Evento Local Hora Participação
10/02 Lançamento da CFE 2016 nas Missas de 4ª Feira de Cinzas, com a apresentação do tema, lema e objetivos da Campanha e explicação do cartaz (cartaz/banner). Santuário 07:00 Pastoral da Liturgia

(Equipe de Coordenação)

Loretão 19:30 Pastoral da Liturgia

(Equipe de Coordenação)

12/02 Via Sacra

(folheto e cantos)

Santuário

 

20:00 Ver Escala da Via Sacra

(Equipe de Coordenação)

19/02 Via Sacra

(folheto e cantos)

Santuário

 

20:00 Ver Escala da Via Sacra

(Equipe de Coordenação)

21/02 Palestra CFE-2016 CEPAR   EJC

(Equipe de Coordenação)

26/02 Via Sacra

(folheto e cantos)

Santuário

 

20:00 Ver Escala da Via Sacra (Equipe de Coordenação)
04/03 Via Sacra

(folheto e cantos)

Santuário

 

20:00 Ver Escala da Via Sacra

(Equipe de Coordenação)

11/03 Via Sacra

(folheto e cantos)

Santuário

 

20:00 Ver Escala da Via Sacra

(Equipe de Coordenação)

18/03 Mutirão de Confissões CEPAR 17:00 Pastoral da Liturgia
18/03 Via Sacra

(folheto e cantos)

Santuário

 

20:00 Ver Escala da Via Sacra

(Equipe de Coordenação)

19/03 Missa Sábado

(Domingo de Ramos)

Loretão 18:30 Pastoral Liturgia

(Equipe de Coordenação)

20/03 Domingo de Ramos Loretão 07:00

08:30

10:30

19:00

Pastoral da Liturgia

(Equipe de Coordenação)

22/03 Via Sacra (externa) Pátio das Mangueiras 20:00 Equipe de Coordenação
23/03 Procissão do Encontro Loretão/

CEPAR

20:00 Pastorais/ECC/EAC/EJC e demais membros da Comunidade Loretana (Equipe de Coordenação)
24/03 Missa

(Santa Ceia do Senhor – Lava Pés)

Loretão 19:30 Pastoral da Liturgia

(Equipe de Coordenação)

– Vigília do Horto* Santuário 20:45
25/03 – Vigília do Horto*

– Celebração da Paixão

-Procissão

Santuário

Loretão

Itinerário

Manhã

15:00

19:00

Pastoral da Liturgia

(Equipe de Coordenação)

26/03 Sábado Santo/Vigília Pascal Loretão 20:00 Pastoral da Liturgia

(Equipe de Coordenação)

27/03 Páscoa do Senhor Loretão 07:00

08:30

10:30

19:00

 

Pastoral da Liturgia

(Equipe de Coordenação)

 

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM