Bem Estar – Mal de Alzheimer

Por ser uma doença recentemente popularizada em virtude do aumento da expectativa de vida da população adulta, as descobertas sobre o mal de Alzheimer, as formas de prevenção e possíveis tratamentos é um tema de grande interesse para todos.  Por esse motivo, a partir dessa edição vamos fazer uma série sobre o tema, onde tentaremos abordar o assunto de forma simples e objetiva.

Caso você tenha alguma pergunta a fazer sobre o assunto, envie um email para pascom@loreto.org.br com o título: Esclarecendo dúvidas sobre Alzheimer. Nós levaremos sua pergunta para que um médico responda.

Alzheimer

O Alzheimer é uma doença neuro-degenerativa que provoca o declínio das funções intelectuais, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social, interferindo no comportamento e na personalidade. Segundo a Organização Mundial de Saúde, quando diagnosticada no início, é possível retardar o avanço e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família. Ainda não se sabe a causa, mas são conhecidas algumas lesões cerebrais características da doença, que se apresenta como demência, ou perda de funções cognitivas (memória, orientação, atenção, aprendizado, compreensão e linguagem), devido a morte de células cerebrais. Estudos recentes demonstram que essas alterações cerebrais já estariam instaladas antes do aparecimento de sintomas. Por isso, quando aparecem manifestações clínicas, que permitem o diagnóstico, diz-se que é o início da fase demencial da doença. As áreas mais atingidas são as de células nervosas (neurônios). O paciente pode lembrar-se com precisão de acontecimentos de anos atrás, mas tem dificuldade em reter memórias recentes, como, por exemplo, uma refeição que acabou de realizar. A pessoa fica cada vez mais dependente da ajuda dos outros, até mesmo para rotinas básicas, como a higiene pessoal e a alimentação.

Apesar de ainda não haver cura, as perspectivas são boas, uma vez que as pesquisas avançam com progresso na compreensão dos mecanismos que causam a doença e no desenvolvimento das drogas para seu tratamento. Uma das pesquisas sugere que a doença não destrói memória, mas a torna inacessível.

O estudo que dá esperança para pacientes foi publicado na revista ‘Nature’ em 16 de março de 2016.  Pessoas que sofrem do mal de Alzheimer podem não ter “perdido” a memória e ter apenas dificuldade para recuperá-la. É o que sugerem os pesquisadores que revelaram a possibilidade de um tratamento que pode algum dia curar os estragos da demência.

Segundo a OMS, Organização Mundial de Saúde, o Alzheimer afeta mais de 40 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, existem cerca de 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade. Seis por cento delas sofrem do Mal de Alzheimer, segundo dados da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz).  Atualmente, 01 em cada 09 idosos já são portadores da doença de Alzheimer, é o que revelou recente pesquisa da Associação Americana de Alzheimer (Alzheimer´s Association). Mas este número, segundo estimativas do estudo, irá triplicar até o ano de 2050.

A doença possui vários estágios, que vão desde os primeiros esquecimentos até a morte, podendo apresentar distúrbios de comportamento que vão da apatia ao isolamento e à agressividade, e isso pode durar anos.  Existem grupos de apoio ao familiar cuidador. A Abraz é pioneira na assistência a familiares de pessoas com a doença. Ela oferece apoio e contribui para a superação de dificuldades enfrentadas desde o momento do diagnóstico até as etapas mais avançadas da doença. Muitos dos familiares que se beneficiam do trabalho oferecido tornam-se voluntários e multiplicadores dos conhecimentos e das experiências adquiridas. Para maiores informações, entrar em contato com a regional do Rio de Janeiro no site abraz.org.br

 

Alzheimer x Hábitos de Vida Saudáveis

Na visão do Dr. Fabiano Moulin, o combate ao Alzheimer envolve políticas de saúde, educação e várias outras perspectivas de vida. Médico neurologista da Unifesp, membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e especialista em neurologia da cognição e do comportamento, o que acontece no Alzheimer é uma mescla de um indivíduo e uma sociedade, portanto toda pessoa tem em si a possibilidade da prevenção ou de pelo menos mudar os fatores modificáveis do dia a dia, que estão no prato que se escolhe para comer, no tipo de atividade intelectual que se deixa de fazer ou que se faz, no que o nosso cérebro presta atenção e principalmente no cuidado com a saúde e o corpo.  Nem todas as causas são genéticas, ao contrário, estima-se hoje que 50% dos pacientes com a doença poderiam não ter se tivessem feito da vida algo diferente do que fizeram. O aprendizado de uma segunda língua, a pratica de atividade física regular, a não ingestão de carboidratos simples, tipo de alimento mais consumido no Brasil hoje, além de seguir a dieta mais estudada para prevenção que é a dieta do mediterrâneo, são atitudes que reduzem e muito o surgimento da doença, podendo até evitá-la. Controlar obesidade, hipertensão e dislipidemia é também essencial. Cabe ao indivíduo, mas principalmente ao governo, estimular o tipo de saúde, educação e compreensão adequada do que é o envelhecimento e a cidadania, lutando pelo cérebro que é a máquina mais fantástica que existe!

Fontes:  Associação Brasileira de Alzheimer

g1.globo.com –  rj.casadosaber.com.br

 

Quem é você?

Só quem conviveu com o Alzheimer consegue ter a dimensão do que ele é capaz de provocar na vida das pessoas. As consequências não afetam somente o paciente, mas todos que estão a sua volta e que podem adoecer junto, quando, de uma hora para outra, precisam aprender a lidar com um misto de sentimentos ao se depararem com a pergunta: Quem é você?  Você pode ser um filho, um pai, mãe, neto, esposo(a)… mas, acima de tudo, é alguém que o ama incondicionalmente. E mesmo quando ele já não se lembra mais disso, a importância não diminui.  Aquele “marmanjo” esquecido, sem juízo, agora é como um bebê indefeso que acaba de nascer para uma vida que não conhece.  Ao contrário da criança, que todos nós já fomos um dia, aquela que com o passar dos anos vai acumulando lembranças e fazendo novas descobertas, o mal de Alzheimer prejudica a capacidade de fazer planos, de resolver problemas, de controlar os nossos estados de humor e sentimentos. O paciente vai se desconectando das suas memórias, de tudo aquilo que ele lutou para se tornar um dia.   É como se a doença o desligasse da sua vida, das suas lembranças, dos seus maiores bens, dos momentos importantes, as pequenas conquistas, um grande amor, o sorriso de um filho, a família, o trabalho, amigos, tudo deixa de existir para ele! A consciência morre, mas ainda não pode ser enterrado, pois o corpo continua de pé.  A matéria, por sua vez, vai se abatendo, se encurvando, perdendo a altivez, a mobilidade. A voz fica confusa, o comportamento fica estranho, fragilizado, indefeso, incapaz, inconveniente, incompreensível e, muitas vezes, insuportável para aqueles que durante toda uma vida estiveram ao seu lado.     Nos estágios iniciais da doença, muitas perguntas, o que fazer para que os outros não mudem a percepção que tem de nós, como não tornar-se um entrave? Sem respostas seguem lutando para não deixar de fazer parte das coisas, ao mesmo tempo em que vão aperfeiçoando a arte de esquecer. Diante dos avanços da ciência na busca pela cura só nos resta a esperança. Sabe-se que não é fácil, mas com amor, compreensão e carinho o paciente pode viver melhor junto das pessoas que ama, e isso é determinante para que eles não se tornem órfãos e nem vítimas do descaso. É como se olhássemos nos seus olhos e disséssemos: Você não está sozinho! Sim, ele pode esquecer, pode não compreender, mas a importância disso é imensurável.

Quem sou eu?

Não me force a ser o que já não sei,
o que eu já não sou capaz.
Desculpe, mas esqueci o melhor de mim,
a doença só me deixa ser assim!

Não entendo, ando tão desobediente,
repleto de teimosia e intemperança!
Quando foi que eu voltei a ser criança
dando trabalho pra tanta gente?

Filho, hoje eu lembrei de você
e sei que deves estar em pranto,
também foi doloroso para mim
quando tu eras travesso assim,
mas eu te amava tanto !

Hoje eu preciso do seu melhor,
tenha paciência, não desista de mim,
desculpa a dependência neste fim,

dê-me a sua mão,
até que o meu corpo morra, enfim!

Luciana Magalhães

Pascom Loreto

btn_cepar_468x150  Cepar
  • Alfabetização, cidadania, comunicação, saúde, coral, ações sociais e eventos, você encontra aqui!
Saiba mais

Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Grupos de Oração, Liga Católica, Movimento Mãe Rainha e Pastoral Vocacional...

Saiba mais

Você, jovem ou adolescente, que quer se aproximar mais de Deus, confira as opções de grupos jovens que nossa paróquia oferece.

Saiba mais

Aqui você encontrará informações sobre CF, Fé e Dons, Círculos Bíblicos, Cursos da Palavra, Escola de Evangelização Santo André e Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Saiba mais

Informações sobre Batismo, Crisma ou Confirmação, Eucaristia, Confissão ou Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio ministrados em nossa paróquia.

Saiba mais

localVeja o mapar de como chegar a Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Loreto:

Ladeira da Freguesia, 375 -Freguesia - Jacarepaguá – RJ

CEP 22760-090

Saiba mais  

Entre em contato conosco através dos emails da Administração, Ação Social Loreto, Pe. Barnabitas, Igreja N. Senhora de Loreto, Jornal O Mensageiro, Secretaria, Pascom e Pastoral da Juventude.

Saiba mais

Confira o horário de atendimento de nossa secretaria, missas, confissões, eucaristia e batismo.

Saiba mais
CAPELAS

capelaNeste espaço, você encontrará os endereços das Capelas assistidas pela nossa paróquia e seus respectivos horários das Missas:

    • » NOSSA SENHORA DA PENNA
    • » NOSSA SENHORA DO AMPARO
    • » NOSSA SENHORA DE BELÉM
    • » SÃO JOSÉ (CARMELO)
    • » SANTO ANTONIO
Saiba mais
HISTÓRICO DA PARÓQUIA

quem_somosPrezado leitor, querido paroquiano.

Sim. Agora podemos dizer que Nossa Senhora de Loreto é Patrona do nosso povo de Jacarepaguá há mais de 350 anos.

Quando o P. Manoel de Araujo veio de Lisboa, trouxe esta imagem e, tendo conseguido alguns favores por intercessão da Virgem, lhe dedicou um santuário. Conta o Frei Agostinho de Santa Maria no seu livro “Santuário Mariano e história das imagens milagrosas de Nossa Senhora” de 1723:

Saiba mais
HISTÓRICO DO SANTUÁRIO

hist_santuarioO Brasil, em colonização pelos portugueses, saía do Ciclo do Pau Brasil e ingressava no do Açúcar. Desenvolvia-se em terras litorâneas a construção de engenhos e fazia-se presente atividade febril nos meses de moagem da cana e fabrico de açúcar.

As terras de Jacarepaguá eram consideradas extremamente férteis e a região onde seria construída a Igreja do Loreto era denominada Planície dos Onze Engenhos...

Saiba mais
CEPAR

CeparO CEPAR (Centro de Estudos paroquial Nossa senhora de Loreto), inaugurado em Maio de 2000, uma área construída de cerca de 3000 m2, um complexo com 15 salas de aula cada uma com 30 lugares, um plenário para cerca de 120 participantes, um salão para festas e eventos abrigando 50 mesas redondas de 6 lugares, sem prejuízo da pista de dança e a varanda que circunda o salão pode abrigar 20 mesas redondas de 6 lugares,portanto, cerca de 420 pessoas podem desfrutar dos eventos no salão...

Saiba mais
HISTÓRICO DE NOSSA SENHORA DE LORETO

Historico N. Sra. LoretoNossa Senhora de Loreto

A ditosa casa de Nazaré, onde, após a saudação do Anjo à futura Mãe de Deus, o Verbo se fez Carne, foi transportada, segundo a tradição, para a cidade de Loreto, na Itália.

A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário de porte internacional dedicado à Santíssima Virgem tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro Mariano da Cristandade....

Saiba mais